Forum Fechado de RPG Saint Seiya. Só para convidados.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Disputa pela Armadura de Pégaso

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Luna de Áries
Amazona de Ouro
Amazona de Ouro
avatar

Mensagens : 12
Data de inscrição : 12/09/2015

MensagemAssunto: Disputa pela Armadura de Pégaso   Ter Set 29, 2015 1:59 am

Arena sagrada,7 horas antes


Apesar do clima solene, havia algo de festivo no local. Muitas pessoas vieram de rodorio em peso para este momento. Luna sentiu este clima. acostumada ao silencio  -  muitas vezes perturbado por Aegis e Eimpérios - suas latentes habilidades mentais detectavam as pessoas que  pousavam suas expectativas nos concorrentes, no entanto, algo lhe chamou a atenção, um cosmo conhecido, grande o suficiente para rivalizar-se com o seu estava do outro lado:

Ageu Asra.

Um pouco mais distante, estava um garoto com idade próxima a de Aegis. Ele era loiro e vestia uma túnica clara e não demonstrava qualquer traço de hostilidade, em contraste a Aegis que se movimentava e se aquecia. A amazona pode perceber que ele seguiu toda a disciplina deixada por ela, uma vez que seu tonus muscular ganhou uma diferença notável e seu olhar estava mais focado. O jovem parecia não tê-la notado e respirou fundo quando percebeu seu adversário e o suposto mestre lado a lado, neste momento ele cerrou os punhos forçando-se a não desanimar e voltou ao aquecimento.

Preferindo não chamar a atenção do pupilo para si, Luna aceitou com cuidado a ajuda de um soldado que estava de seu lado para se sentar na arquibancada. O bom de suas vestes comuns era que cobriam boa parte de seus curativos, expondo um pouco, talvez, as gases que envolviam seus braços, cobrindo suas queimaduras. Mesmo sentindo uma dor tão aguda pelo corpo todo, se recusava a perder o fruto de seu treinamento e dos esforços de Aegis virem à tona. Então evitou respirar fundo, para não criar nenhuma pressão a mais nas costelas, e manteve uma expressão impassível, encarando a arena.


Outro grande cosmo estava emergindo da ala sul do coliseu:


O Grande Mestre.

Neste momento, o silêncio tomou o local de forma solene e respeitosa. Em absoluto, subiu até a armação de pedra posicionando-se à direita e ao centro Helena com um olhar compenetrado e trazendo Nikky à sua mão direita. Momento em que todos se curvaram, assim como Luna, mesmo com as dores e de uma forma discreta Luna sentiu os olhos da Deusa sobre si. Não havia reprovação, em contrapartida também não havia admiração. Ela voltou sua atenção para o centro da arena, onde os dois concorrentes agora se aproximavam do palanque de pedra.

- É uma grande honra tê-los aqui. Desde este momento agradeço a vocês valentes aspirantes por terem trilhado um caminho tortuoso e repleto de dor até este momento. Esta dor é o que nos fortalece. Para cada vez que levantaram-se, cada vez que aprenderam com seus erros, e cada vez que se mantiveram firmes, significa que uma vida será salva futuramente. Neste ínterim,quero que mostrem neste combate o peso de suas determinações!

Dito isso, ela tocou o bácuno no chão três vezes, seguido de palavras vindas dos dois candidatos em uníssono, e então ela recuou um passo ao que o Grande Mestre adiantou-se:

- Cada um de vocês derrotaram 1024 oponentes. Esta foi a sua prova de resistência. Durante estas três semanas de combates incessantes, foram testados seu controle emocional,sua resistência e perseverança. hoje chegou o dia de mostrar os frutos destes treinamentos. Aquele que sair vitorioso deste combate, será conhecido como o novo cavaleiro de pégasos desta era. -  ele concluiu a frase apontando para a caixa de pandora que estava sobre um pedestal de mármore.

O Garoto loiro permaneceu sério, mas Aegis mostrou um sorriso que raramente mostra até mesmo a Luna. Aparentemente as palavras de Athena o atingira de tal maneira que ele parecia muito mais motivado que o normal.

Então após o silencio do Grande Mestre, Aegis habilmente saltou para o meio da arena pouco antes de uma cratera se abrir no exato lugar onde estava. Aegis provavelmente não percebeu o que foi que o atacou, mas para Luna era como assistir em câmera lenta. Uma esfera de cosmo energia subitamente emergiu do chão e implodiu-se. Aquilo deveria ter dilacerado os pés de seu pupilo.

Posicionado ao centro da arena, Aegis tomou um postura séria e dura, Luna pôde perceber que o rapaz havia se assustado, mas aquilo foi por pouco tempo. Iniciando um jogo de pernas, preparou-se para algum movimento, mas o oponente parou a uma distância mediana com um dos braços retos sobre o tronco e os dedos indicadores e médios a uma curta distancia do rosto. Aegis por ventura ergueu o braço esquerdo e recolheu o direito. Iria estudar as defesas do adversário com uma manobra básica que todo aprendiz sabe ao iniciar seus estudos com cosmo energia:


Meteor Fist.

A cosmo energia disparada por Aegis chocou-se com algo invisível e se desfez. O adversário moveu o canto dos lábios em satisfação e antes mesmo que Aegis pudesse desfazer a postura foi atingido por uma variação da muralha de cristal que se estilhaçou e seus resíduos o acertaram em cheio, fazendo com que se chocasse com a parede de pedra.

E assim se fez um silêncio na arquibancada.

Luna arqueou seus sinais sob a testa, agora realmente curiosa sobre o treinamento do adversário de Aegis. Luna lembrara-se deste rapaz, seu nome era Aldo. ele fazia parte da linhagem principal da família de Asra. Aldo tinha um treinamento conciso e centrado, por isso tinha um controle mais pleno do cosmo.

Aldo era como um lago parado comandando o vento. Em contrapartida, Aegis era uma torneira aberta transbordando um tanque.

O garoto se desprendeu das rochas e avançou em alta velocidade contra Aldo, este quase não teve tempo de fechar sua defesa, mas foi impossível usar o cosmo de maneira defensiva. O punho de Aegis brilhou num azul fosco quando impactou os braços cruzados do oponente. Aldo foi jogado para trás e o impacto do seu corpo levantou poeira, no entanto, Aegis estava começando a ofegar.

Aldo limpou a sujeira de sua túnica e andou calmamente até Aegis:

-É impressionante. Você tem habilidade e força, mas seu cosmo ainda não está desenvolvido. Acha que pode proteger Athena assim? Deve saber bem que a vitória é decidida pelo cosmo maior, até agora você feriu sua perna e recebeu o impacto do Coliseu...

- ...E continuo de pé apenas ofegante, já você precisa do seu cosmo para aguentar a dor não é? É verdade, a vitória vem do cosmo maior, por isso até agora estou ampliando o meu. Somos o legado das estrelas, e tudo é feito de átomos. Posso sentir o universo em cada célula do meu corpo. A diferença entre nós dois, é que vejo isso como poesia e você como matemática. Isso pode até funcionar para quando você calcula o movimento de translação ou seja lá o que for, mas no campo de batalha - e neste momento  o cosmo de aegis expandiu-se á um nível de igualar ao adversário - O improviso as vezes resolve.

Mesmo tentando controlar, foi inevitável esboçar o primeiro sorriso daquele dia, pequeno, mas simbólico, ao ouvir as palavras do pupilo. Mais importante do que criar uma cópia de si mesma, era maravilhoso ver que Aegis havia desenvolvido suas próprias motivações e se tornara sua própria e melhor versão de cavaleiro. Se sentiu bem com a escolha de não se revelar para o rapaz, pois toda ação e palavra escolhida por ele não fora feito para impressioná-la, e sim para alcançar seus próprios objetivos.

Citação :
Shining Breaking Blow - (Impacto de ruptura brilhante)  - É a técnica primária aprimorada que todo o cavaleiro aprende. Aegis treinou exaustivamente o ponto de ruptura a nível de lançá-lo de seus punhos como cosmo energia. O cosmo difunde pelo ar em alta velocidade destruindo o que estiver á sua frente, numa destrutiva combinação de força maciça e vibração.

Aldo surpreendeu-se com a carga de energia e em grande velocidade ergueu o braço direito para o alto e o esquerdo para baixo, girando-os em sentido horário e criando uma barreira pouco antes do impacto do golpe. Aldo precisou sustentar a defesa. Em contra partida, os olhos de Aegis faiscaram de energia, o som e os resíduos de cosmo energia dos dois geraram um belo efeito de universo se expandindo a partir do epicentro no exato ponto em que estavam os dois.

Estavam apostando tudo até que Aegis sofre todo o impacto do Crystal Shield  e é jogado violentamente contra a arquibancada obrigando as pessoas a fugirem.

-De fato. O Improviso pode ajudá-lo a resolver certos problemas, mas não quando enfrenta uma adversário preparado. -  o rapaz saltou e foi até a arquibancada onde Aegis estava semi inconsciente - Vamos acabar logo com isso. Você lutou bem.

- He....He...He...

-...

-Sabe...uma das qualidades do cosmo...seu mestre não lhe ensinou? É de proporcionar milagres.


" Lembre-se: O cosmo é uma benção concedida por Athena a todo aquele que jura proteger o mundo em seu nome. você pode fazer qualquer coisa, desde que tenha em mente de sua responsabilidade. então Aegis. qual é seu objetivo?"

- O meu objetivo é único. Nunca mais ficar impotente diante uma catástrofe. Me tornarei cavaleiro hoje com este objetivo. - E mesmo com o corpo seriamente ferido Aegis lentamente se ergueu. O sangue esvaia-se de seu corpo em grandes quantidades da mesma forma que seu cosmo. - Você não entendeu, mas meus golpes não foram lançados a esmo. Eu queria testar a resistência do seu escudo e achar o ponto mais frágil. O seu escudo é plano, e em forma de um quadrilátero. Todos os quadriláteros tem um único ponto no qual se eu aplicar a força correta ele se parte. E este ponto é bem no centro. Você me deu a dica no meu último golpe. O modo em que você gira as mãos e forma o ataque faz exatamente o seu epicentro. Então aqui vai meu último golpe, receba minha determinação junto!
Citação :
First Impact: Meteor Strike:  (Primeiro Impacto: Punho meteoro)  - Segundo aprendido por Aegis usando as aulas de física e história do universo empreendido por Luna, trata-se do cosmo em sua essência pura. Aegis salta caindo em cima do alvo golpeando várias vezes. A força gravitacional e magnética obriga o adversário apenas a se defender no último instante da chuva de golpes, finalizando com o outro punho investindo violentamente contra o adversário.


Aldo não conseguiu reagir. Mesmo com o escudo sobre si, a violência dos golpes de Aegis o fez dobrar os joelhos e finalmente o ponto de ruptura o fez se partir e Aldo recebeu os golpes em cheio sem chance de reagir. Por fim, ao tocar o solo, Aegis já estava exausto e sem cosmo. Logo depois, o corpo inerte de Aldo caiu logo atrás. Aegis andou com grande dificuldade até onde estava o Grande Mestre e Athena, parando no centro da arena.

-Meus parabéns Aspirante. Athena o reconhece como cavaleiro. De agora em diante a constelação de pégasus o aceita e o protegerá, mas eu o previno: A armadura não deve ser usada para causas pessoais. Você jamais deve usar sua força para outra coisa que não seja proteger os mais fracos. Deste momento em diante você é a prova viva da proteção de Athena neste mundo.

Mesmo sabendo que sentiria dor, a mestra se levantou e começou a andar lentamente até a borda da arena, a parte mais próxima do campo de visão do pupilo e, consequentemente do Grande Mestre e de Athena. Inevitavelmente foi seguida pelo guarda, que estava ali para garantir que ela não fizesse nenhuma loucura, como tentar carregar o pupilo nos ombros e romper os pontos de suas feridas. O combinado era que iria apenas assistir a luta e depois voltar para o templo de áries para continuar com seu repouso, porém, é claro que isso não seria sua próxima ação. Não tinha como ter certeza de que Aegis ouvira todas as palavras do Grande Mestre Avos, ele não parecia estar consciente. Sem exitar, teletransportou-se para o lado do pequeno garoto.

Com uma gentileza pouco mostrada em público, Luna estendeu seus braços, envolvendo o corpo do discípulo que finalmente desabou contra si, obrigando-a a se ajoelhar no chão para ampará-lo corretamente e demonstrar o mínimo de dor possível. Aproveitando sua posição, Luna se pronunciou com o rosto mais impassível possível:

-Como mestra deste cavaleiro e devido o estado do mesmo, peço permissão para levá-lo para o cuidado de meus criados no templo de Áries.

O grande mestre apenas assentiu com a cabeça, concordando. Mas, quando Luna iria se retirar,  uma vez concedida a permissão, ela sentiu um calor agradável ao seu lado. Era como o calor de uma fresca manhã de primavera. Um som tétrico, como o de pedras colidindo em uma superfície lisa ou uma série de miçangas se agitando ao vento fez-se ouvir ao lado da amazona. Em pé, ao seu lado, estava uma figura imponente e alta. Ele usava um simples chapéu de palha que lhe cobria a fronte e uma longa capa pendia de seus ombros, ocultando totalmente seu interior. O estranho então, pousou sua mão no ombro da amazona, ao mesmo tempo na qual erguia a outra e se livrava do manto. A amadura dourada reluziu ao sol, ao mesmo tempo em que uma vasta cabeleira loura balouçava ao vento. O homem alto volveu seu rosto em direção à jovem lemuriana e soltou um sorriso. E Luna percebeu que seus olhos estavam fechados.

- Bom trabalho. Vejo que o doutrinou bem, mas mesmo a senhorita precisa de repouso e asilo neste momento, Irmã Luna. -O sorriso se abriu mais e com um gesto acolhedor, ele afastou os cabelos dela de sua fronte e se postou a frente dela, interpondo-se ao Grande Mestre, Athena, a amazona e Aegis.

- Peço misericórdia e intercedo diretamente por minha irmã. Pois não é o amor do mestre pelo seu discípulo como o de um pai para um filho? Athena não nos ensinou a proteger o mundo com nossa força? Peço, pois agora, que ela possa partir e cuidar daquele que a preencheu de orgulho... - E ele se curva, tocando a testa ao solo. - Se houver alguma punição à Irmã Luna Hugh, eu voluntariamente a recebo em seu lugar.

Luna não se sentiu muito confortável com a intervenção do outro cavaleiro dourado, mas ela de fato havia entrado na arena ao invés de voltar para os seus aposentos, então apenas permitiu a intervenção para que não precisasse lidar com o Grande Mestre e Athena furiosos com ela como mais uma preocupação. Preferiu ficar quieta e ajustar o discípulo em seus braços, esperando uma palavra final para que pudesse voltar enfim para o templo de áries. Estava começando a ficar mais e mais difícil de esconder o cansaço e as dores. Algumas gotas de suor começavam a se formar nas laterais de sua testa, pescoço e mãos.

-........eu.......consegui....

-Sim, Aegis... Bom trabalho. Você pode descansar agora.

Com isso Luna, com alguma dificuldade, foi se retirando da arena sobre o olhar preocupado da Deusa, e impassível do Grande mestre. Fá também foi autorizado a se levantar e estava dizendo algo ao Grande Mestre, que mostrava uma postura preocupada e ouvindo atentamente as palavras do monge. A amazona de áries olhou para o alto, em tempos não contemplava o entardecer, aquele tinha um clima diferente, uma atmosfera diferente, ignorando algo importante: o olhar neutro de Asra enquanto recolhia seu pupilo inconsciente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Disputa pela Armadura de Pégaso
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Habilidades de Armadura de PEGASUS
» Segunda armadura de bronze t2
» Boa tarde galera, queria uma ajuda... qual a melhor armadura de ouro para pegasus?
» VII - Pela estrada afora eu vou bem sozinho...
» Missão de Rank D - Entrega de Armadura

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
SAINT SEIYA AROUSE :: SANTUÁRIO :: Coliseu-
Ir para: